Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Tocando agora: Carregando...

Engenheiro agrônomo Lucas Fraron comenta sobre irregularidade das últimas chuvas na região

Compartilhe:
Engenheiro agrônomo Lucas Fraron comenta sobre irregularidade das últimas chuvas na região

No último sábado (04), o engenheiro agrônomo Lucas Fraron, sócio-proprietário da Agrofraron, participou da programação da Rádio Club FM. Na oportunidade, comentou sobre a irregularidade nas últimas precipitações nos municípios da região e citou estratégias que os produtores podem adotar para diminuir as perdas no final da safra.
De acordo com Lucas, a não ser em casos onde as lavouras se encontram em estágios mais avançados – como floração e enchimento de grãos –, os produtores não precisam se preocupar com menores volumes de chuva, já que tal condição força a planta a formar melhor seu sistema radicular e inseri-lo mais profundamente no solo. “Esse período de estiagem faz com que a planta estimule o sistema radicular em maior quantidade e profundidade. Então, no período que essa planta for exposta a um período de estiagem mais adiante, ela terá maior facilidade de encontrar água e nutrientes do que uma soja com sistema radicular superficial”, afirmou.
Essa condição de tempo deve inclusive proporcionar benefícios à cultura na sequência do desenvolvimento. “Eu digo aos produtores que não fiquem preocupados com a soja na condição que está tendo agora, porque a planta está só aumentando o potencial de enraizamento. Isso vai trazer benefícios futuros: quando vierem as próximas chuvas, a soja só vai melhorar o potencial produtivo no engalhamento, desenvolvimento, floração e enchimento de grãos”, ratificou.
O engenheiro agrônomo também orientou os produtores sobre práticas que devem ser adotadas como prevenção contra períodos de adversidades climáticas. Entre as ações estão: ajustamento de variedades com diferentes ciclos produtivos, implantação de plantas para cobertura de solo nos intervalos entre os plantios comerciais e rotação de cultura.
Sobre a rotação de cultura, o profissional enfatizou que os produtores devem reservar em torno de 30% das áreas nas propriedades para o plantio de outra cultivar, como o milho, por exemplo. Já em relação à cobertura de solo, a afirmação é de que “a palhada presente na área evita a entrada de plantas daninhas e ajuda a descompactar o solo e gerar reciclagem de nutrientes, proporcionando uma condição favorável para a cultura seguinte”.
Uma das alternativas mais eficientes que o produtor dispõe para diminuir perdas nos resultados finais da safra é o escalonamento de variedades com ciclos produtivos diferenciados. “O benefício do escalonamento do plantio pode amenizar uma situação de estiagem – como a gente vem passando agora. Cultivares com ciclos diferenciados vão fazer com que o fechamento total da produtividade apresente menores perdas do que se apenas uma cultivar fosse implantada e sofresse um problema de estiagem no período em que apresenta maior demanda de água”, ponderou. “Enfim, é um conjunto de analises que o produtor precisa fazer para chegar no final da safra com um resultado satisfatório”, concluiu o engenheiro agrônomo.

Deixe seu comentário:

Publicidade:

Machadinho Thermas Resort Spa

Machadinho Thermas Resort Spa