Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Operação contra investigados por tentativa de mega-assalto em Guarapuava tem 24 presos e oito mortos

Compartilhe:
210922  assalto

Balanço divulgado pela Secretaria da Segurança Pública do Paraná (Sesp) nesta terça-feira (20) mostrou o resultado da operação para localizar e prender os suspeitos de participarem do mega-assalto a uma transportadora de valores em Guarapuava. Mais de 700 policiais participaram da operação que, desde o início, culminou em 24 presos, oito mortos e 17 armas de fogo apreendidas. Só nesta terça, foram 17 presos e três mortos. Três suspeitos ainda estão foragidos e três inquéritos foram instaurados.

Segundo o delegado da Polícia Civil, Alisson Henrique de Souza, o trabalho para prender os envolvidos no crime segue: “As investigações irão continuar. Nós temos que destacar a participação do Ministério Público e do Judiciário, que prontamente atenderam nossos pedidos”. A operação reuniu a policiais Civil, Militar e Científica do Paraná e aconteceu simultaneamente em Curitiba, Campina Grande do Sul, Fazenda Rio Grande, São José dos Pinhais, Maringá, Mandirituba, Ortigueira, Pinhais, Tibagi e Piraquara, no Paraná, em São Paulo, Piracicaba, Hortolândia, Embu-Guaçu, Campinas, São Bernardo do Campo, Itatiba e Itapecerica da Serra, no estado de São Paulo e Barra Velha, em Santa Catarina.

Os suspeitos responderão por organização criminosa, latrocínio, lesão corporal grave, posse ilegal de armas de fogo e explosivos.

A investigação

As polícias do Paraná identificaram os membros da organização criminosa após intensos trabalhos e investigações de alta complexidade. Durante as diligências, foi apurado que os criminosos se uniam para concretizar o crime a partir do domínio do município, fechando os acessos das cidades e agindo com violência e armamento pesado.

Os indivíduos, de diversos estados do país, possuem passagens por outros crimes como roubo a banco e de cargas, tráfico de armas e drogas, extorsão mediante sequestro e outros.

Durante as investigações, verificou-se que os criminosos utilizavam as quantias roubadas para comprar itens de luxo, viagens, procedimentos estéticos e ostentar riqueza nas redes sociais.

Conforme apurado, a organização criminosa é responsável ainda por outros roubos em Campina Grande do Sul, Cerro Azul, Lapa e Quitandinha, no Paraná, Criciúma, Araquari e Blumenau, em Santa Catarina, Araçatuba e Ourinhos, no estado de São Paulo e em Itajubá, em Minas Gerais.

Nos últimos 5 meses, as polícias do Paraná trabalharam de forma intensa, identificando os principais integrantes da organização criminosa e trazendo uma resposta ágil à sociedade. A investigação auxilia ainda na troca de informações com as polícias de outros estados do país.

O mega assalto em Guarapuava aconteceu entre a noite do dia 17 e a madrugada do dia 18 de abril, quando a quadrilha fechou os acessos da cidade, queimou seis veículos e fez moradores reféns. Eles não conseguiram levar nada da empresa. Em confronto com os bandidos, dois policiais foram baleados e o Sargento Ricieri Chagas morreu.

Fonte: g1

Deixe seu comentário:

Publicidade: