Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Polícia Civil prende suspeito de ter matado senegalês em Tapejara

Compartilhe:
Preso-suspeito-de-ter-matado-senegales-em-Tapejara

Preso-suspeito-de-ter-matado-senegales-em-Tapejara
Na manhã desta terça-feira (30), a Polícia Civil por meio da Delegacia de Polícia de Tapejara, coordenada pelo Delegado Venicios Demartini, efetuou a prisão preventiva de um indivíduo suspeito de ter praticado o latrocínio contra uma vítima senegalesa no último dia 17 de Agosto de 2022, em Tapejara.

Ainda nesta data foram executas buscas em endereços de investigados a fim de coletar demais elementos de informação acerca do crime.

Após os trâmites legais, o preso foi conduzido ao sistema prisional.

Relembre o caso:
Um homem, de nacionalidade senegalesa, foi encontrado amarrado e sem vida, na tarde do dia 17 de Agosto, na Rua Alberto Pasqualini, em uma servidão, no Loteamento Cohasa, em Tapejara.

Segundo informações da Polícia Civil que estava no local, a namorada de Mbaye Faye, de 34 anos, fez último contato com a vítima por volta das 20:30h de ontem. Hoje, por volta das 14:30h foi até sua residência e o encontrou caído de bruços e com os pés amarrados com um cadarço de tênis.

Bombeiros Voluntários, Brigada Militar e SAMU foram acionados, mas o homem já estava sem vida.

Policiais civis relataram à Rádio Tapejara que a vítima, além de trabalhar em uma empresa, também vende vários itens, como roupas e acessórios. Na noite de ontem (16), vizinhos ouviram uma discussão por volta das 20 horas e por várias vezes o carro da vítima, um Palio, saiu e voltou à residência.

Na manhã de hoje, este mesmo carro saiu da residência por volta das 9h10 e foi visto por populares abandonado na saída para Paiol Novo, mas quando a Brigada Militar foi ao local, o carro já não estava mais.

Os peritos do IGP estiveram no local para levantamento e relataram que colheram sangue e materiais no local que agora serão analisados e serão anexados à investigação. O corpo de Mbaye Faye foi encaminhado para o Departamento Médico Legal.

A Polícia Civil esclareceu que trata-se de um latrocínio (roubo seguido de morte), já que há evidências que vários objetos foram furtados e o automóvel da vítima não foi localizado.

Fonte: Rádio Tapejara

Deixe seu comentário:

Publicidade: